Michael Vick e Eagles abrem mercado de QBs

(Foto: Tim Shaffer/Reuters)
Vick e Reid: o primeiro ficou, o segundo saiu (Foto: Tim Shaffer/Reuters)

Quando Michael Vick deixou a cadeia, o Philadelphia Eagles foi uma das poucas equipes que bancou o retorno do jogador à NFL. Depois de um ano na reserva, o quarterback o lugar de Kevin Kolb em 2010, encerrando a temporada com os melhores números da carreira (62,6% de aproveitamento no passe, 3.018 jardas, 21 TDs, seis interceptações e rating de 100,2).

Sem dúvidas, Vick estava de volta, e os Eagles compraram isso. Em agosto de 2011, deram ao camisa 7 um contrato de seis anos e mais de US$ 100 milhões, com US$ 40 milhões garantidos. Os dólares apostados não foram revertidos em aparições nos playoffs, e o Philadelphia ainda viu seu principal atleta se contundir na temporada passada. Com a entrada do calouro Nick Foles no time, muitos deram como certa a saída de Vick do clube. Mas o jogo só acaba quando termina.

Disposto a dar a volta por cima e, quem sabe, retribuir o voto de confiança que recebeu no passado, o quarterback reajustou seu contrato com o time da Filadélfia. Lembra daquele acordo gordo de 2011? Ele passou por uma dieta e foi reduzido a uma temporada e cerca de US$ 10 milhões. É agora ou nunca para Vick. Ou ele mostra que pode ser titular ou vira free agent em 2014, abrindo o caminho de vez para Foles.

Agora, o que isso tem a ver com o resto da NFL? Simples. A reestruturação do contrato de Vick praticamente o tira do mercado de quarterbacks desta offseason. Times que possuem elencos mais ou menos prontos e que poderiam ir atrás do veterano terão que rever suas opções. Veja abaixo quem deve ir às compras por um novo QB e quem vão ser os assediados.

ARIZONA CARDINALS

COMO ESTÁ DE GRANA: US$ 3,3 milhões acima do teto salarial.
QUEM TEM LÁ:
Kevin Kolb (titular), John Skelton, Ryan Lindley e Brian Hoyer.
Se os Cardinals pudessem juntar as habilidades dos quatro quarterbacks em um só, eles teriam um jogador ruim. Kolb é um opção viável, mas ele se contunde com a mesma frequência que o Pedrinho (lembra dele?), então talvez seja melhor começar do zero. A dança de cadeiras em Glendale vai depender muito do técnico Bruce Arians, contratado para o lugar de Ken Whisenhunt. Larry Fitzgerald não iria achar uma má ideia tirar Kurt Warner da aposentadoria.

BUFFALO BILLS

COMO ESTÁ DE GRANA: US$ 16,7 milhões abaixo do teto salarial.
QUEM TEM LÁ: Ryan Fitzpatrick (titular), Tarvaris Jackson, Brad Smith e Tyler Thigpen.
Fitzpatrick não é um quarterback horrível e nem teve uma temporada ruim em 2012, mas ele vale os US$ 59 milhões prometidos pelos Bills dois anos atrás? Não. Como o ex-aluno de Harvard completa 31 anos em novembro, os Bills podem pensar em um nome novo, e a probabilidade que ele venha do draft é grande – Buddy Nix, diretor do clube, que o diga. Não fique surpreso se a franquia articular algumas trocas para subir de posição no recrutamento – eles possuem a 8ª escolha neste momento.

CLEVELAND BROWNS

COMO ESTÁ DE GRANA: US$ 44,7 milhões abaixo do teto salarial.
QUEM TEM LÁ: Brandon Weeden (titular), Colt McCoy, Josh Johnson e Thad Lewis.
Brandon Weeden foi recrutado no draft de 2012 e já está sendo jogado para escanteio? Sim. Por quê? Porque os Browns trocaram de dono e não há coisa mais normal neste mundo do que diversas mudanças quando um novo chefe assume a empresa. Weeden teve um ano normal de calouro, mas o problema é que ele faz 30 anos em outubro – meio velho para um segundo anista. Com a chegada de Norv Turner na comissão técnica, a equipe de Cleveland deve ir atrás de Alex Smith – o reserva do San Francisco 49ers jogou bem sob a tutela de Turner – e usar a 6ª escolha do draft em outra posição.

JACKSONVILLE JAGUARS

COMO ESTÁ DE GRANA: US$ 23,8 milhões abaixo do teto salarial.
QUEM TEM LÁ: Blaine Gabbert (titular), Chad Henne, Jordan Palmer e John Parker Wilson.
A ideia do diretor esportivo do time, Dave Caldwell, é construir o elenco em torno de Gabbert – Tim Tebow não faz parte deste processo. Caso os Jaguars fiquem com Blaine, o que não é o fim do mundo, mas também não é animador para os poucos torcedores, a ideia de Caldwell é perfeita. É preciso reforçar a equipe. Mas se o Kansas City Chiefs resolver sua situação antes do draft, Geno Smith, tido como o melhor QB desta classe, pode cair no colo do Jacksonville. O que eles vão fazer? Trocar a escolha para pegar mais picks ou recrutar Smith?

KANSAS CITY CHIEFS

COMO ESTÁ DE GRANA: US$ 13,2 milhões abaixo do teto salarial.
QUEM TEM LÁ: Matt Cassell (titular), Brady Quinn, Alex Tanney e Ricky Stanzi.
Cassell não é um quarterback ruim, mas ainda colhe os louros da temporada de 2008, quando substituiu Tom Brady, lesionado, no New England Patriots. Que o camisa 7 aproveite enquanto dure, porque seus dias de titular em Kansas City parecem contados. Andy Reid, novo técnico do time, gosta de Alex Smith, o que pode render uma oferta aos 49ers, e além disso, a franquia tem a primeira escolha do draft. Também dá para colocar o Tanney, o Senhor dos Truques no YouTube (assista aqui).

NEW YORK JETS

COMO ESTÁ DE GRANA: US$ 23,1 milhões acima do teto salarial.
QUEM TEM LÁ: Mark Sanchez (titular), Tim Tebow, Greg McElroy e Matt Simms.
Os Jets precisam de uma faxina geral na casa, mas não é possível que a franquia confie tanto em Sanchez quanto John Elway confiou em Peyton Manning na hora de contratá-lo. A boa notícia é que o diretor esportivo Mike Tannenbaum foi mandado embora, dando lugar a John Idzik. Além de achar um quarterback para o time, Idzik terá a missão de domar o teto salarial do clube, obstáculo para grandes contratações. Eu não pretendo desanimar o torcedor, mas o QB de 2013 da equipe novaiorquina deve ficar entre Sanchez e McElroy – Tebow está de saída.

Quem pode receber propostas dos times?

Alex Smith (San Francisco 49ers), Matt Flynn (Seattle Seahawks), Kirk Cousins (Washington Redskins), Ryan Mallett (New England Patriots) e todos os titulares citados acima, uma vez que podem ser trocados por outros quarterbacks. Dois nomes estão em situação ímpar. O primeiro é o de Joe Flacco, atual campeão e MVP do Super Bowl. O QB do Baltimore Raves está sem contrato, mas deve acertar uma renovação generosa em breve. Já o segundo nome é o de JaMarcus Russell. O ex-jogador do Oakland Raiders quer voltar para a NFL. Resta saber quem vai se arriscar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s