Guia das finais de conferência da NFL

NFC
New Orleans Saints x Philadelphia Eagles
Quando:
 domingo, 20 de janeiro de 2019
Onde: Mercedes-Benz Superdome, em Nova Orleans (Louisiana)
Previsão do tempo: 9°C/3°C (estádio fechado)
Que horas: 18h05 (horário de Brasília)

O New Orleans Saints foi o responsável por riscar o zero da lacuna de derrotas do Los Angeles Rams ao bater a franquia californiana na Semana 9. Esta é a oportunidade de Sean McVay dar o troco no xará Sean Payton, que está invicto no mata-mata quando atua embaixo do teto do Mercedes-Benz Superdome (seis vitórias e nenhuma derrota).

Apesar de jogarem fora de casa, os Rams chegam à decisão em um melhor momento, tendo imposto seu jogo diante do Dallas Cowboys e dominado a semifinal, enquanto os Saints tiveram dificuldades contra o Philadelphia Eagles e contaram de leve com a falta de sorte de Alshon Jeffery para avançar.

Os Rams jogarão a 10ª final de NFC, a 8ª com a franquia estabelecida em Los Angeles – as outras foram na época de St. Louis. Já os Saints vão para a 3ª decisão de conferência na história do clube, todas sob o comando de Payton.

Como foi o duelo entre eles na Semana 9:

Drew Brees leva a melhor sobre Jared Goff
New Orleans Saints 45 x 35 Los Angeles Rams

Apenas três punts, mais de 900 jardas totais combinadas dos ataques, 80 pontos no placar. O duelo entre os dois melhores times da NFC foi como nós esperávamos: um tiroteio com dois candidatos ao MVP. De um lado, Drew Brees. Do outro, Jared Goff. Os Saints, que estão há sete jogos invictos, comprovaram sua força em casa; Michael Thomas foi imparável, com 12 recepções em 15 tentativas para 211 jardas e um TD. Os Rams perderam a invencibilidade, mas mostraram resiliência, empatando o jogo em 35 x 35 após estarem perdendo por 35 x 14. Queremos revanche nos playoffs.

* Escrito na época do jogo.

O QUE ESPERAR DO JOGO:

Ataques terrestres. Embora tenham bons QBs – no caso dos Saints, um QB que entrará para o Hall of Fame –, Saints e Rams apostam em seus corredores e são os clubes que mais marcaram touchdowns pelo chão em 2018, com um total combinado de 49 TDs (26 para New Orleans e 23 para Los Angeles).

Uma diferença que pode se mostrar enorme em relação ao confronto de novembro é a ausência do DT Sheldon Rankins na defesa dos Saints e a chegada de C.J. Anderson ao ataque dos Rams. Em três jogos com a equipe, Anderson “bola de demolição” registrou 422 jardas e seis TDs; nas semifinais de conferência, o RB teve mais oportunidades na corrida que Todd Gurley II. Três jogadores devem revezar no lugar de Rankins: Tyeler Davison, David Onyemata e Taylor Stallworth. “Nós sabemos como Gurley gosta de correr, nós sabemos como Anderson gosta de correr”, avalia Davison. A ideia é anular o jogo terrestre e forçar Jared Goff. Os Saints já fizeram isso na Semana 9, limitando Los Angeles a 92 jardas pelo chão, mas Goff liderou uma reação espetacular no 2° tempo e empatou aquele jogo em 35 x 35 quando o placar chegou a estar 35 x 14.

Do outro lado, os Saints vêm com Drew Brees, Alvin Kamara, Mark Ingram e Michael Thomas. O WR teve uma atuação espetacular diante dos Rams, com 12 recepções, 211 jardas e um TD, sendo que sete recepções, 146 jardas e o TD foram em cima de Marcus Peters, o que gerou uma rusga entre o CB e o técnico do New Orleans – Payton disse que “gostou muito” do embate entre Thomas e Peters, irritando o defensor. Marcus vai ter a chance de se redimir e contará com a ajuda de Aqib Talib, que não participou da derrota em questão. Com o retorno do camisa 21, o recebedor não terá vida fácil.

Pelo chão, Los Angeles precisa repetir o ótimo trabalho da semana passada, quando cederam dois TDs, mas apenas 50 jardas para o líder da temporada, Ezekiel Elliott (a boa vantagem construída pelos Rams também contribuiu para os Cowboys deixarem o ataque terrestre de lado). Ndamukong Suh foi bem contra Dallas e dará trabalho para o LG Andrus Peat, que estaria jogando com dores na mão direita operada e deixou isso transparecer na semifinal, cometendo quatro faltas enquanto tentava conter Fletcher Cox – e olha que a DL dos Rams ainda tem Aaron Donald.

Linha secundária reforçada, C.J. em grande fase, OL funcionando… Os confrontos e o momento nos levam a crer em uma leve vantagem dos Rams, mas a disputa é em Nova Orleans, onde Brees e Payton nunca perderam um mata-mata. Apostarei na força dos mais de 70 mil torcedores empurrando a equipe ao seu segundo Super Bowl.

Palpite: Saints.


AFC
Kansas City Chiefs x Indianapolis Colts
Quando:
 sábado, 20 de janeiro de 2019
Onde: Arrowhead Stadium, em Kansas City (Missouri)
Previsão do tempo: -1°C/-7°C (estádio aberto)
Que horas: 21h40 (horário de Brasília)

É difícil imaginar uma final da AFC mais perfeita para a temporada do que Kansas City Chiefs x New England Patriots. De um lado, o homem que dominou a conferência, com 13 finais da AFC e oito aparições no Super Bowl (cinco vitórias); do outro, o jovem que desafia a própria juventude ao lançar 50 TDs e 5 mil jardas em seu primeiro ano como titular. Seria esta a passagem de bastão? Afinal, 18 anos e 45 dias separam Tom Brady de Patrick Mahomes II.

Como foi o duelo entre eles na Semana 6:

Patriots vencem tiroteio contra os Chiefs
New England Patriots 43 x 40 Kansas City Chiefs

É fato: os Patriots estão de volta. Diante do único time invicto da AFC, New England precisou jogar em todos os níveis para sair de campo vitorioso: Tom Brady conectou os passes quando mais precisou, os RBs correram para 161 jardas pelo chão, a defesa forçou dois turnovers e Stephen Gostkowski converteu os cinco FGs que chutou. Os Pats costumam engrenar ao longo da temporada e é isso que estamos vendo. Kansas City perdeu sua invencibilidade, mas voltou a mostrar que pode atacar de diferentes formas e por pouco não levou o jogo. Aguardamos a revanche nos playoffs.

* Escrito na época do jogo.

O QUE ESPERAR DO JOGO:

Frio e neve. Segundo a previsão do tempo, a máxima será de -1°C, a mínima, de -7°C, e a sensação térmica pode beirar os -17°C. O clima “winter is coming” tende a atrapalhar o jogo aéreo, mas Mahomes foi eficiente na semana passada, apesar de ter errado alguns passes que talvez acertasse em condições normais, enquanto Brady tem o histórico a seu favor: 24-4 em jogos com -1°C e 5-1 em jogos com -6°C.

Os Chiefs não terão Kareem Hunt, que somou 185 jardas na partida da Semana 6, mas Damien Williams vem dando conta do recado e é a grande arma “não óbvia” do Kansas City. O desafio de Bill Belichick é parar Tyreek Hill, Travis Kelce e, agora, Williams, em especial no 1° quarto, período em que KC marcou 147 pontos e tomou apenas 56. Com o Indianapolis Colts foi assim: 14 x 0 antes mesmo de Andrew Luck conseguir uma 1ª descida. A julgar pela semifinal, Kelce é o homem a ser anulado, vejamos o resultado das suas sete recepções:

– 2ª para 1: passe de 16 jardas = 1ª descida
– 2ª para 10: passe de 14 jardas = 1ª descida
– 2ª para 10: passe de 16 jardas = 1ª descida
– 3ª para 8: passe de 10 jardas = 1ª descida
– 1ª para 10: passe de 30 jardas = 1ª descida
– 3ª para 6: passe de 7 jardas = 1ª descida
– 2ª para 17: passe de 15 jardas = 3ª para 2

As “big plays”, passes para mais de 20 jardas ou corridas para mais de dez jardas, serão outra preocupação para Belichick. KC é foi o segundo time que mais teve “big plays” em 2018, com 133, seis delas na derrota para os Patriots, incluindo TDs de 67 e 75 jardas, fora o retorno de kickoff de 97 jardas de Tremon Smith. NE, por sua vez, é o clube que cedeu o menor índice de acerto nos passes em profundidade (24,2%), segundo o Next Gen Stats. Quem leva a melhor?

Sobre Brady, o camisa 12 dissecou a defesa do Los Angeles Chargers antes mesmo do snap e se livrava da bola antes que Melvin Ingram e Joey Bosa sentissem seu perfume – Bosa até “reclamou” em um momento hilário entre ele e o QB. No lugar de Ingram e Bosa, Justin HoustonDee Ford Chris Jones vêm aí depois de passarem o carro na OL dos Colts. Se o ataque terrestre com Sony Michel e James White – este recebendo passes – funcionar, não há razões para não crer que Tom e New England acompanharão Mahomes de igual para igual, mesmo fora de casa.

É importante frisar o “fora de casa” porque todas as cinco derrotas dos Patriots nesta temporada foram longe do Gillette Stadium. Em território “inimigo”, New England anota 12,2 pontos a menos e cede 6,1 pontos a mais.

Palpite: Chiefs.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s