Quem matou Steve McNair?

Steve McNair (Foto: Instagram/@Titans)

Quase dez anos após sua morte, Steve McNair voltou a ser notícia, principalmente nos EUA. O que era para ser um perfil sobre a vida do ex-jogador para a Sports Illustrated virou uma reportagem de Tim Rohan em formato de podcast – “Fall of a Titan” pode ser ouvido ao final do texto –, na qual Rohan explora o crime ocorrido na madrugada de 4 de julho de 2009 e as questões que não ficaram muito claras. Mas, antes de falarmos do podcast, talvez seja bom nos debruçamos em cima de alguns pontos, como…


>>>>> Quem foi Steve “Air” McNair?

Recrutado com a terceira escolha geral do draft de 1995 pelo Houston Oilers, Steve McNair foi um QB da NFL. Em 13 temporadas na liga, o camisa 9 defendeu três equipes – Oilers, que foram para Nashville em 1998 e viraram o Tennessee Titans, e Baltimore Ravens – e construiu uma carreira sólida, ficando muito, muito perto de vencer o Super Bowl 34, em 2000, e conquistando, três anos depois, o título de MVP, dividindo-o com Peyton Manning (foi a única vez em que isso aconteceu).

Em abril de 2008, McNair pendurou suas chuteiras. Na coletiva, o jogador afirmou que, embora ele acreditasse que ainda pudesse jogar futebol, seu corpo não compartilhava desta opinião. “Se eu não posso competir como antes, eu não vou colocar esse time em risco”, declarou. O eterno titã é o QB com mais jardas corridas em um Super Bowl, com 64, duas a mais que Colin Kaepernick em 2013, no Super Bowl 47.


>>>>> O que houve na madrugada de 4 de julho de 2009?

McNair foi assassinado dentro de uma casa que alugava em Nashville com quatro tiros: dois no peito e dois na cabeça, um em cada têmpora. Aos seus pés estava o corpo da sua amante, a garçonete Sahel “Jenni” Kazemi, de 20 anos, morta com um tiro na cabeça. Ambos morreram por volta das 2h da manhã, segundo a polícia.

Às 12h40, Wayne Neeley, amigo de McNair, entrou na casa à procura do ex-jogador e achou os dois corpos. 11 minutos depois, ele ligou para Robert Gaddy, guarda-costas de McNair. Gaddy então se dirige ao condomínio, chegando entre 13h20 e 13h35, e é só às 13h35 que o segurança aciona a polícia.

Quatro dias depois das mortes, em 8 de julho, a polícia de Nashville anuncia em coletiva de imprensa que havia concluído as investigações: Sahel assassinou Steve e em seguida se matou. As alegações são de que Jenni estava perdendo a cabeça (ela foi detida no dia 2 de julho por dirigir embriagada) por conta de dificuldades financeiras e por ter ciúmes de McNair, que era casado, diga-se de passagem.

McNair foi enterrado em Prentiss, no Mississippi; quase 5 mil pessoas foram ao funeral do ex-QB de 36 anos, entre elas astros da bola oval como Ray Lewis e Vince Young. Já Kazemi foi enterrada em Jacksonville, na Flórida.


>>>>> Onde entra “Fall of a Titan”?

“Fall of a Titan” é um trabalho jornalístico foda. Durante 15 meses, Rohan entrevistou dezenas de pessoas ligadas a McNair e Kazemi. O ponto de partida do trabalho de Tim é Vincent Hill, um ex-policial de Nashville que se tornou detetive particular, investiga o caso por conta própria há quase uma década, trabalhou para Lucille McNair, mãe do ex-QB, e escreveu dois livros – “Playbook to a Murder”, de 2010, e “Incomplete Pass: The Murder of Steve McNair Revisited”, de 2014.

Embora nunca tenha trabalhado com homicídios, Hill afirma que a investigação foi falha e tem 100% de certeza de que Kazemi não matou o ex-jogador. É muito fácil embarcar nas teorias de Hill, mas cabe a Rohan evitar justamente isso. Como jornalista, ele ouve fontes, apura, investiga… O que não significa necessariamente que – alerta de spoiler – há uma nova resposta para a pergunta que serve de título deste post (nem tudo é uma série da Netflix).

Hill soa como conspiracionista em algum momentos – sugere-se até que a máfia estaria envolvida no crime –, mas algumas dúvidas, compartilhadas por familiares e amigos das vítimas, realmente deixam pulgas atrás da orelha.

Quando Neely encontrou os dois corpos no dia 4, possivelmente sem saber de quem eram, ele ligou para três pessoas: McNair, Raymond White (assistente de McNair) e Gaddy. O terceiro foi o único que retornou e orientou Neely a deixar a casa e aguardar por sua chegada. Ele não disse para chamar a polícia ou por socorro. Por quê?

Gaddy, aliás, que atuava como guarda-costas de McNair, estaria brigado com o ex-QB na época do crime, de acordo com três pessoas ouvidas por Rohan, por roubar US$ 13 mil dele, e que, inclusive, isso teria motivado sua demissão.  À polícia, Gaddy minimizou o suposto entrevero com Steve. Ainda falando sobre possíveis roubos, foram achados apenas US$ 7 nos bolsos de McNair. Para amigos e familiares, isso é uma contradição com o “estilo de vida” de vida do ex-Titans, que costumava sair com maços de dinheiro. A conclusão (na visão deles) é clara: mesmo morto, Steve havia sido roubado.

Este é um de alguns pontos da investigação (o álibi do homem que vendeu a arma para Sahel é inconsistente; um suposto cofre que havia na casa de McNair nunca foi achado; Sahel estaria saindo com outros homens semanas antes da sua morte, o que reforça a tese de que ela não estaria desesperada atrás de Steve; a mãe do ex-QB não pode ver as fotos da cena do crime, mesmo tendo insistido para a polícia…) que tornam natural o instinto de questionar como a polícia concluiu o caso em quatro dias.

Não bastasse todo o suspense que o podcast incute em você, há também um detalhe digno de séries de suspense: o rumor de que McNair teria sido castrado e teve seu pênis inserido na própria boca, o que daria novos contornos para as mortes. O legista e os investigadores, no entanto, refutam os boatos.


>>>>> Touchdown ou fumble?

Como eu disse antes, “Fall of Titan” é um trabalho jornalístico que levou meses para ser produzido, ou seja, ele requer paciência (cada episódio tem uns 40 e poucos minutos) e atenção. Infelizmente, o podcast é em inglês e por tratar-se de áudio, não há “legendas”. É imperdível? Não, mas é uma história que caiu como uma bomba no mundo da bola oval dez anos atrás e que é revisitada, com qualidade, agora.


>>>>> Episódio 1: O detetive particular


>>>>> Episódio 2: O quarterback e o professor


>>>>> Episódio 3: A garçonete


>>>>> Episódio 4: O ex-detento e o ex-namorado


>>>>> Episódio 5: O guarda-costas


>>>>> Episódio 6: O quarterback e o professor


>>>>> Episódio 7: A mãe e a irmã


>>>>> Episódio 8: A viúva


>>>>> Episódio 9: Os investigadores


>>>>> Epílogo

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s