Cornetadas da Semana 1 da NFL

Defesa dos Packers brilha na estreia
Chicago Bears 3 x 10 Green Bay Packers

Em uma noite na qual Aaron Rodgers foi sufocado pela defesa dos Bears (que continua intensa sem Vic Fangio), coube à defesa dos Packers fechar a porta para uma possível reação do Chicago. Tramon Williams evitou uma recepção na boca da endzone, Adrian Amos interceptou Mitchell Trubisky na endzone e Preston Smith sacou o QB na última jogada. Foi um jogo de defensores, com dez sacks e 18 QB hits para as duas unidades. Mesmo pressionado, Rodgers tirou alguns coelhos da cartola para ajudar Green Bay a colocar dez pontos no placar; já do outro lado, Trubisky não é mágico.


“Nada mal para um running back”
Miami Dolphins 10 x 59 Baltimore Ravens

O time dos Dolphins é ruim? É. O time dos Ravens é bem melhor? É. E o que se espera quando eles se enfrentam? Que o segundo passe o carro no primeiro. Impondo o jogo terrestre de cara, Baltimore não deixou Miami respirar. Bem protegido, Lamar Jackson lançou 25% dos seus passes para TD, alguns deles com um lindo toque, e calou a boca (temporariamente) de quem dizia que ele só corria. Dado o que vimos em 2018, fazia sentido desafiar o camisa 8 a lançar a bola; dado o que vimos agora, isso pode ser bem arriscado. Após o duelo, Lamar avaliou sua atuação: “Nada mal para um running back”.


Mahomes não mudou, Foles se quebrou
Jacksonville Jaguars 26 x 40 Kansas City Chiefs

Para a esperança de todos que odeiam os Patriots, Patrick Mahomes ainda é o mesmo de 2018; o QB precisou de duas campanhas para mostrar que a última temporada não é obra do acaso. Já Sammy Watkins, por sua vez, não é o mesmo de 2018, não! O WR mostrou agilidade e cortes que não víamos há tempos e anotou os melhores números da carreira (nove recepções, 198 jardas e três TDs). Na ausência de Tyreek Hill, que se lesionou, Watkins ganha espaço. Na Flórida, Nick Foles fraturou a clavícula e está fora por tempo indeterminado. Menos mal que Gardner Minshew, o reserva, entrou bem.


“Hype” não ganha jogo
Cleveland Browns 13 x 43 Tennessee Titans

O hype em torno dos Browns é gigantesco e o que vimos foi um show. Show da defesa dos Titans e um show de erros do Cleveland, que cometeu 18 faltas para uma perda de 182 jardas e viu três interceptações virarem 21 pontos para Tennessee no 4° quarto, matando a partida. A defesa dos Titans segurou a onda por três quartos, mas quando o ataque precisou dar uma resposta, eles fecharam a tampa do caixão, com destaque para a volta do TE Delanie Walker, com dois TDs. A questão é que os Titãs costumam ser 8 ou 80, então vamos aguardar as próximas atuações.


Há vida em Indianapolis sem Luck
Los Angeles Chargers 30 x 27 Indianapolis Colts

Os Colts foram a Los Angeles, sobreviveram sem Andrew Luck e, acredite, ainda quase saíram da Califórnia com a vitória embaixo do braço. O ataque não foi um problema; o trio principal da unidade foi bem, Jacoby Brissett teve uma tarde sólida e o RB Marlon Mack correu para 174 jardas e um TD. O ponto negativo, acredite, foi Adam Vinatieri. O kicker veterano errou dois FGs e um extra point; sete pontos que fizeram falta. Há vida nos Colts sem Luck. Já nos Chargers, ninguém sente saudades de Melvin Gordon. Austin Ekeler somou 154 jardas totais e três TDs.


O bom filho à casa torna
Philadelphia Eagles 32 x 27 Washington Redskins

Depois de cinco temporadas longe do ninho, DeSean Jackson voltou e com atuação de gala: oito recepções, 154 jardas e dois TDs (53 jardas e 51 jardas). Os Eagles tiveram um início de jogo meio lento, permitindo que os Redskins abrissem 17 x 0 no 1° tempo, para o choque de todos, mas acordaram na 2ª etapa, marcaram três TDs e um FG em quatro campanhas seguidas e viraram a partida. Aquela preocupação acerca de como Carson Wentz voltaria após sua 2ª temporada acabar em lesão se dissipou. O camisa 11 jogou como em 2017. E agora ele tem DeSean.


Gurley II parece bem e Newton, enferrujado
Carolina Panthers 27 x 30 Los Angeles Rams

O 1° tempo de Todd Gurley II deixou o torcedor dos Rams com a pulga atrás da orelha, mas a 2ª etapa serviu para jogar essa pulga para longe. Das 97 jardas terrestres do RB na vitória sobre os Panthers, 64 vieram no 4° quarto (43 em campanhas decisivas que garantiram o resultado). Com o ataque terrestre complementado por Malcolm Brown, Los Angeles parece estar em boas mãos. No Carolina, Cam Newton voltou após uma cirurgia no ombro e pareceu enferrujado, como ele reconheceu. Sobre não ter tentado passes para mais de 17 jardas, o QB disse que reagiu ao que a defesa mostrou.


Vikings encontraram sua identidade?
Minnesota Vikings 28 x 12 Atlanta Falcons

Os Vikings podem ter entrado em 2019 com uma fórmula que não faz muito sucesso entre os fãs, principalmente aqueles ávidos por passes, mas que cumpre seu papel, que é vencer jogos. A defesa anulou o ataque dos Falcons por ar e por terra, forçando três turnovers, e o ataque despejou 172 jardas terrestres, 111 de Dalvin Cook, que ainda marcou dois TDs. E Kirk Cousins? Completou oito passes (de dez) para 98 jardas e um TD, que veio com o patrocínio do punt bloqueado pelos especialistas. Uma atuação perfeita que infla o time para encarar os Packers.


Olha só… Os 49ers têm defesa!
Tampa Bay Buccaneers 17 x 31 San Francisco 49ers

Em 2018 inteiro, os 49ers forçaram apenas sete turnovers. Em 2019, com apenas uma rodada disputada, já são quatro. Em uma tarde boa para a defesa e ruim para o ataque dos Buccaneers, San Francisco conseguiu três interceptações (duas delas retornadas para TD) e um fumble – o ponto negativo na defesa fica por conta da expulsão de Kwon Alexander. Mas nem tudo são flores na Bay Area… Tevin Coleman se machucou e deve perder uma semana, e Jimmy Garoppolo foi bem irregular, embora três TDs dos 49ers tenham sido anulados por faltas. Jimmy G. precisa jogar melhor.


Dak Prescott 1 x 0 Jerry Jones
Dallas Cowboys 35 x 17 New York Giants

Ficamos tentados a minimizar a vitória dos Cowboys por conta da ruindade da defesa dos Giants, mas não podemos fazer isso. Dak Prescott jogou muito e, por enquanto, vai tendo a vantagem na negociação para renovar seu contrato, que se encontra no último ano. O QB teve um domingo perfeito: 25/32, 405 jardas, quatro TDs e rating de 158,3. E tudo isso com um Ezekiel Elliott que não treinou com o time na pré-temporada (o RB participou de 54% dos snaps “só”). Boa estreia do veterano Randall Cobb e ótimo jogo do segundo anista Michael Gallup (sete recepções em sete passes e 158 jardas).


Empate com gosto de vitória/derrota
Arizona Cardinals 27 x 27 Detroit Lions

Em uma divisão com três fortes candidatos aos playoffs, os Lions não podiam se dar ao luxo de sair do Arizona sem a vitória, ainda mais depois de abrir o 4° quarto vencendo por 24 x 6. O ponto positivo fica por conta do TE calouro T. J. Hockenson (opção para o fantasy, inclusive), com seis recepções, 131 jardas e um TD. Para os Cardinals, o copo está meio cheio. Depois de três quartos horríveis (teve até sack de fogo amigo), Kyler Murray achou seu ritmo, liderou a reação e forçou a prorrogação. Dá esperanças, mas se Arizona cair neste buraco contra Baltimore na próxima rodada, dificilmente sai dele.


C. J. Mosley salva
New York Jets 16 x 17 Buffalo Bills

C. J. Mosley foi nome do jogo em campo e fora de campo. Com ele, a defesa dos Jets dominou os Bills e forçou quatro turnovers de Josh Allen – Mosley recuperou um dos dois fumbles e retornou uma das duas interceptações para TD. Sem ele, que deixou o campo no 3º quarto com uma lesão na virilha, a defesa dos Jets se perdeu e cedeu a virada. O próprio Allen reconheceu que o “jogo mudou” com a saída do LB. Agora, fica difícil culpar a defesa de Nova York quando o resultado de quatro turnovers do rival se tornam uma vantagem de apenas seis pontos no placar.


Os tigres de bengala não estão extintos
Seattle Seahawks 21 x 20 Cincinnati Bengals

Uma manchete clássica sobre uma derrota de Thomaz Bellucci poderia ser usada aqui: Cincinnati joga bem, desperdiça chances e sofre a virada para o Seattle. Patinho feio da AFC Norte, os Bengals não são aquele desastre. A equipe somou quase 200 jardas a mais do que os Seahawks, mas desperdiçou três campanhas seguidas no 3° quarto: Andy Dalton sofreu um fumble na red zone, Randy Bullock errou um FG de 45 jardas e eles falharam ao tentarem converter uma 4ª para 1 na linha de 36 jardas do campo de ataque. No Seattle, verdade seja dita, esta DL ainda não está completa.


E Antonio Brown ainda vai chegar…
New England Patriots 33 x 3 Pittsburgh Steelers

O que prometia ser um possível futuro duelo nos playoffs da AFC foi, na verdade, um passeio. Tom Brady segue lançando a bola com aquela precisão cirúrgica e a distribuiu em campo para sete recebedores; foram 25 jogadas com formações sem TE só neste jogo (em 2018, foram 24 na temporada). Sem ataque terrestre, Pittsburgh foi para o tudo ou nada no passe e esbarrou no ótimo trabalho da secundária de New England, que ainda coroou a noite com uma interceptação na end zone no fim da partida. E tem o Antonio Brown para chegar nesse time ainda…


Deshaun joga muito, mas até quando?
New Orleans Saints 30 x 28 Houston Texans

Faltou pouco para Bill O’Brien sair de Nova Orleans com o peito estufado. Ou melhor, faltaram só 37 segundos. Com um TD de 37 jardas do recém-chegado Kenny Stills, os Texans viraram a partida no final do 4° quarto, só que 37 segundos foram suficientes para Drew Brees colocar os Saints em posição de FG e Wil Lutz acertar o chute de 58 jardas, virando a partida de novo. O’Brien tem sorte de ter Deshaun Watson como QB. Watson apanhou bastante – a linha ofensiva ainda está longe de ser uma maravilha –, mas suas atuações podem garantir uma sobrevida para o técnico.


Sem Antonio Brown, sem problemas
Oakland Raiders 24 x 16 Denver Broncos

Em uma noite na qual o assunto tinha tudo para ser a falta que Antonio Brown poderia estar fazendo nos Raiders, os Raiders indicaram que Antonio Brown não faz falta; o RB Josh Jacobs teve uma boa estreia, com 113 jardas totais e dois TDs, assim como o WR Tyrell Williams, com 105 jardas e um TD em seis recepções. Por ora, é só alegria em Oakland. Em Denver, por outro lado, é só preocupação. Von Miller e Bradley Chubb não encostaram em Derek Carr – cadê você, Vic Fangio? – e as primeiras impressões de Joe Flacco já nos faz pensar se não era melhor ter mantido Case Keenum mesmo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s