Cornetadas da Semana 15 da NFL

MVP
Baltimore Ravens 42 x 21 New York Jets

A não ser que Russell Wilson faça chover e conduza os Seahawks de maneira histórica à liderança da NFC, é muito difícil o prêmio de MVP não ir para Lamar Jackson. O camisa 8 bateu o recorde de Michael Vick de mais jardas terrestres para um QB no ano (eram 1.039, agora são 1.103 e com duas partidas pela frente) e foi letal pelo ar (15/23, 212 jardas e cinco TDs – poderiam ter sido seis se o passe para um Mark Andrews livre não fosse muito alto em uma 3ª para 8). De resto, os especialistas de Baltimore cometeram um vacilo aqui (punt bloqueado / TD dos Jets) e ali (Justin Tucker errou um XP).


Patriots acordam no 2° tempo
Cincinnati Bengals 13 x 34 New England Patriots

Por incrível que pareça, os Bengals, com só uma vitória em 2019, jogaram de igual para igual com os Patriots, então 10-3, ao longo de 30 minutos. Com o placar empatado em 10 x 10, New England teve a ajuda de grandes jogadas dos especialistas (recuperação de fumble) e da defesa (duas interceptações de Stephon Gilmore, a segunda retornada para TD) para abrir 27 x 10 no 3° quarto e trabalhar com calma. J.C. Jackson fechou a tampa do caixão de Andy Dalton com outras duas interceptações. Apesar da diferença elástica no marcador, os Patriots continuam com dificuldades no ataque.


Winston mais perto do dia do “eu fico”
Detroit Lions 17x 38 Tampa Bay Buccaneers

“Eu espero ter me ajudado porque eu definitivamente quero permanecer em Tampa.” A frase é de Jameis Winston, de 25 anos, previsto para se tornar um agente livre ao fim da temporada. Para a surpresa de ninguém, o QB foi interceptado na primeira campanha dos Buccaneers (a 24ª de 2019 – ele lidera a liga no quesito), mas depois ele acertou a mão: foram quatro TDs e 458 jardas. Os Bucs venceram cinco dos últimos seis jogos, passando para um recorde honesto de 7-7. Se Jameis quer um contrato novo, a chave pode ser mais 400 jardas e quatro TDs, mas contra os Texans.


Houston fala mais alto no 4° quarto
Tennessee Titans 21 x 24 Houston Texans

Uma derrota, duas vitórias, uma derrota, duas vitórias… Os Texans mantiveram a sua sequência, bateram os Titans após o revés para os Broncos na rodada passada e estão a uma vitória de conquistarem a AFC Sul. Deshaun Watson foi interceptado duas vezes na end zone, mas brilhou no 4° quarto, com passes de 35, 35 e 25 jardas para colocar Houston à frente no marcador, enquanto os especialistas bloquearam um FG e a defesa interrompeu a sequência de quatro jogos seguidos de 100 jardas terrestres de Derrick Henry e interceptou Ryan Tannehill – Whitney Mercilus retornou para 86 jardas.


Neve não para Mahomes
Kansas City Chiefs 23 x 3 Denver Broncos

Sabe aquele papo de a neve mata o ataque aéreo? Então, não mata se você tiver Patrick Mahomes II em campo. Mesmo com o campo do Arrowhead Stadium branco, o camisa 15 completou quase 80% dos passes (27/34) para 340 jardas e dois TDs, ambos para Tyreek Hill; com 142 jardas, Trevis Kelce é o primeiro TE a anotar quatro temporadas seguidas com mais de mil jardas recebidas. Em um ano no qual praticamente todos os QBs acabaram ofuscados por Lamar Jackson, Patrick talvez tenha nos relembrado de que ele é o atual MVP da NFL por um motivo.


Turnê de despedida de Eli
New York Giants 36 x 20 Miami Dolphins

Não faz sentido os Giants não deixarem Eli Manning como titular até o fim de 2019. O camisa 10 foi a única razão que tivemos para prestar atenção no confronto entre duas das piores equipes da NFL. Eli (20/28, 283 jardas, dois TDs e três INTs) deixou o jogo no final do 4° quarto e foi ovacionado, tendo sua imagem projetada no telão do MetLife Stadium. Se esta foi a última partida do QB, ele fecha a carreira com uma vitória e um recorde de 117-117. Boa atuação de Saquon Barkley, com 143 jardas totais e dois TDs. Nos Dolphins, Ryan Fitzpatrick lidera o time em jardas terrestres. Precisa falar mais?


Eagles e Cowboys em rota de colisão
Washington Redskins 27 x 37 Philadelphia Eagles

O palco está montado para a semana que vem. Apoiado por Miles Sanders (172 jardas ofensivas e dois TDs – o passe do TD aéreo foi fora de série), Carson Wentz fez o que os Eagles esperam dele em momentos assim: colocou o time nas costas e marchou para a vitória pela segunda semana seguida. Apesar do fumble, Wentz foi letal no 4° quarto (11/11, 80 jardas e dois TDs). Em Washington, houve um vislumbre de como podem ser os Redskins com um Dwayne Haskins “menos calouro”. Com um bom ataque terrestre e Terry McLaurin, melhor WR novato, Haskins tem espaço para crescer.


Seahawks sobrevivem às lesões
Carolina Panthers 24 x 30 Seattle Seahawks

Com Jadeveon Clowney, Ezekiel Ansah, Shaquil Griffin e Mychal Kendricks de fora do jogo, e Bobby Wagner e Quandre Diggs se machucando no jogo, Seattle quase viu uma partida relativamente tranquila ganhar contornos improváveis no fim do 4° quarto, mas se segurou e queimou o relógio com Russell Wilson e Chris Carson para levar a partida. No Carolina, Christian McCaffrey somou 175 jardas totais e dois TDs, e precisa de 186 jardas aéreas para se tornar o terceiro atleta – ao lado de Roger Craig e Marshall Faulk – com mil jardas recebidas e outras mil jardas corridas no mesmo ano.


11-3, pero no mucho
Green Bay Packers 21 x 13 Chicago Bears

A NFC tem quatro equipes 11-3. São três potências e os Packers. “Acho que ainda não temos o respeito da liga”, avalia Aaron Rodgers. Todo time que tem o camisa 12 deve ser respeitado, mas vamos combinar que Green Bay fez o suficiente para vencer três times inferiores nas últimas rodadas (Giants, Redskins e Bears) e nos leva a pensar se o clube pode bater de igual para igual com Seahawks, Saints e 49ers. No 4° quarto, os Packers insistentemente convidaram Chicago a reagir com quatro “três e nada” que resultaram em uma perda de três jardas. Só faltou combinar com Mitchell Trubisky.


Chargers não dão chances para os Chargers
Los Angeles Chargers 10 x 39 Minnesota Vikings

Interceptação, fumble retornado para TD, fumble, punt, turnover após conversão de 4ª descida fracassar, fumble, interceptação e interceptação. Vindos de seu melhor jogo, os Chargers decepcionaram (sem novidades) e entregaram a bola sete vezes, algo que não acontecia desde 1986, e aí não há milagre que possa ajudar o clube de Los Angeles, o que não apaga a atuação de Danielle Hunter (sack, dois fumbles forçados e um fumble recuperado). Perto de garantir uma vaga nos playoffs, Minnesota recebe os Packers, no que promete ser um duelo completamente diferente daquele da Semana 2.


Adeus melancólico para Oakland
Oakland Raiders 16 x 20 Jacksonville Jaguars

Não foi a despedida dos sonhos dos Raiders de Oakland. Na última partida dos piratas na Bay Area antes da ida para Las Vegas, os comandados de Jon Gruden dominaram os Jaguars na 1ª etapa, empacaram no 2ª tempo, cederam a virada para a MinshewMania e abriram os portões do inferno para alguns fãs mais irritados, que vaiaram os jogadores e atiraram lixo em campo. Melancólico. Nos Jaguars, Gardner Minshew II (17/29, 201 jardas e dois TDs) se recuperou nos 30 minutos finais para liderar a primeira vitória da franquia na costa oeste desde 2005 e, quem sabe, garantir seu emprego em 2020.


Cleveland virou churrasco total
Arizona Cardinals 38 x 24 Cleveland Browns

Com quatro TDs terrestres de Kenyan Drake, os Cardinals escreveram outro capítulo no já turbulento livro da crise que vem a ser o 2019 do Cleveland – a exceção é Nick Chubb, líder da NFL em jardas terrestres, que conquistou sua 7ª partida para mais de 100 jardas pelo chão, com 127 em 17 corridas. A falta de sintonia de Baker Mayfield com Odell Beckham Jr. voltou a produzir frutos, e, por frutos, leia-se uma bola nas mãos de Patrick Peterson, e foi noticiado que jogadores dos Browns gritaram algo como “me tirem daqui” em direção à lateral do Arizona. Jarvis Landry seria um deles. Que caos.


Aleluia, Cowboys
Dallas Cowboys 44 x 21 Los Angeles Rams

A vitória dos Eagles na capital dos EUA tornou “obrigatório” o triunfo dos Cowboys em casa. E que triunfo foi. Dallas dominou os Rams, quebrou a sequência negativa de três derrotas e pode levar a NFC Leste se derrotar o Philadelphia na próxima rodada. Tudo deu certo para a equipe texana: Ezekiel Elliott e Tony Pollard registraram 248 jardas terrestres e três TDs, Kai Forbath acertou seus sete chutes, Jason Witten marcou seu 72° TD (está a um de igualar Dez Bryant) e Sean Lee interceptou um QB, algo que não fazia desde dezembro de 2017. Se continuar assim, Jason Garret fica – já pensou? 😂


49ers garantem, no mínimo, o wild card
San Francisco 49ers 22 x 29 Atlanta Falcons

Os 49ers não tiveram resposta para Julio Jones (13 recepções, 134 jardas e dois TDs). Os Falcons não tiveram resposta para George Kittle (13 recepções e 134 jardas). O TE foi a única grande arma ofensiva em um dia no qual o ataque californiano não engrenou e contou com uma mão dos especialistas, que forçaram um fumble e deixaram o time na linha de 1 jarda, para apimentar a partida. San Francisco garantiu uma vaga nos playoffs com a derrota dos Rams e ainda pode avançar como número da NFC, mas agora não há margem para erro nos próximos jogos (Rams e Seahawks).


SNF de defesas
Pittsburgh Steelers 10 x 17 Buffalo Bills

No duelo entre os dois principais candidatos a wild card da AFC e duas das melhores defesas da conferência, venceu o time que errou menos. Buffalo forçou Devlin Hodges a lançar em profundidade para as laterais e colheu os frutos: quatro interceptações em passes que viajaram dez jardas ou mais para as laterais do campo. A vitória garante os Bills nos playoffs, enquanto os Steelers pegam Jets e Ravens (possivelmente sem seus titulares) e têm ótimas chances de jogar em janeiro também. Ainda assim, nenhum dos dois passa confiança o suficiente para derrubar um mandante na rodada de WC.


Drew Brees Night Football
New Orleans Saints 34 x 7 Indianapolis Colts

No DBNF (Drew Brees Night Football), só deu, obviamente, Drew Brees. 434 dias após quebrar o recorde de jardas lançadas de Peyton Manning, o camisa 9 bateu a marca de mais TDs, chegando a 541. Não bastasse o feito por si só, Brees ainda deu uma “tunada” nas estatísticas, completando 96,7% (29/30) dos passes, algo inédito na NFL para um mínimo de 20 passes, e conectou 22 passes consecutivos – segundo o Next Gen Stats, a probabilidade desta sequência sair era de 0,005%. Também houve espaço para Michael Thomas ser Michael Thomas: 12 recepções em 12 passes, 128 jardas e um TD.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s